sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011

Oito semanas

Variações malucas de humor. Baby, isso vai me matar! Na boca um milhão de perguntas. Um milhão de enjoos que brocham qualquer desejo. Um tesão alucinado, chato, cheio de mimos e bem me quer. Mais quilos, mais responsabilidades, mais sangue, mais vida, mais informações, mais restrições. É tanto mais tanta coisa que vai confundindo a mente ativa e operante que, além de feminina, estudante, trabalhadora, jovem, aprendiz, ainda precisa ser mãe. Mas aquele tipo de mãe que ainda não é, já sendo. Alguém por acaso já pensou que atravessar a rua é o melhor exemplo de existência? Não basta olhar pros lados. Você tem que contar com a sorte de não ter algum maluco que desrespeite as normas e invada o seu espaço, esmagando a sua cabeça ou te dando um grande susto. É. É isso. Viver goza de uma boa dose de sorte. Sorte de que todos a sua volta possam respeitar seu espaço e que você respeite, também, o espaço do outro. Será que alguém aí esqueceu aquela paradinha básica de direito de ir e vir? Tem mais alguém nessa jogada louca. Vida louca. Vida louca. Vida louca.

Nenhum comentário:

Postar um comentário